Menu Mobile

ARTIGOS

Sobre como comer chocolate emagrece (e a facilidade de se enganar o mundo)

Não acredito que o ser humano tenha melhorado ou piorado, em essência, desde que passou a caminhar pela terra. Todos vivemos como sempre vivemos: combatendo crises existenciais e correndo atrás de sonhos. Nessas duas frentes – uma defensiva e outra ofensiva – somos sempre de uma ingenuidade pueril quando os objetivos aos quais nos propomos está em jogo.

Essa ingenuidade nos cega – principalmente em uma era em que somos torpedeados com comunicação por absolutamente todos os lados. Só que essa cegueira, claro, é seletiva. O raciocínio é bem simples: queremos sempre o caminho mais curto e prático para alcançar as nossas metas – e estamos pre-dispostos a acreditar em qualquer um que aponte para esse caminho.

Exemplificando: emagrecer é algo tão buscado por tanta gente que toda uma indústria da dieta se construiu sobre promessas mirabolantes. Pesquise “perder peso fácil” no Google, por exemplo, e você encontrará 790 mil links, a grande maioria com receitas facílimas.

Claro: se todas funcionassem, a humanidade não estaria vivendo toda uma “epidemia” de obesidade.

 

A pesquisa fajuta

Por conta disso, um canal de televisão alemão decidiu comprovar o quão fácil é enganar as pessoas quando estas estão em busca de uma solução fácil para um problema altamente incômodo. O que eles fizeram: contrataram uma pesquisa com uma amostra ínfima, de 16 pessoas, testando os efeitos de chocolate na dieta. Chocolate amargo, diga-se de passagem – escolha feita pelo pesquisador Gunther Frank justamente porque, como o gosto é considerado pior do que o de chocolates tradicionais, seria mais fácil fazer o mundo acreditar que ele faria bem.

Ele dividiu o grupo em 3: o primeiro submetido a uma dieta de baixa caloria, o segundo à mesma dieta, porém com 40g de chocolate por dia e o terceiro, de controle, mantendo a mesma dieta que já tinha. De fato, os resultados mostraram que o grupo com chocolate perdeu um pouco mais de peso que os demais depois de 21 dias – mas o estudo como um todo está longe de ser confiável. E por quê? Porque a amostra era tão pequena e tão sem controle que dificilmente se conseguiria realmente medir qualquer coisa.

Mas o objetivo era justamente esse.

 

Assim nasce uma nova verdade

Com a manchete “Comer chocolate amargo emagrece”, o time contatou revistas científicas de todo o mundo e conseguiu ser publicado em uma das mais prestigiosas, a International Archives of Medicine, que se orgulha de revisar criteriosamente cada estudo antes de publicá-lo.

Detalhe: a publicação foi feita em 24 horas e depois de um pagamento de 600 euros.

E, com o aval dessa revista científica, veículos de todo o mundo começaram a divulgar a pesquisa pelos quatro cantos – incluindo o Irish Examiner, a Cosmopolitan, o Huffington Post, programas de TV da Austrália e dos EUA e, aqui no Brasil, a TV Cultura, o portal Vírgula e a Folha de São Paulo.

Com tanta gente grande divulgando uma pesquisa publicada em um site de alta credibilidade internacional, as propriedades de emagrecimento do chocolate amargo parecem incontestáveis, certo?

Pois é. Tão incontestáveis quanto a imensa facilidade de se enganar toda uma espécie cuja carência por soluções fáceis e imediatistas é tão grande quanto a preguiça de realmente se esforçar por elas.

Por Ricardo Almeida
Publicado em 15/06/2015 no Blog Gene do Caos

 

Compartilhe

ARTIGOS RECENTES